Terça-Feira, 12-12-2017 13h46
     
    ACADÉMICO FUTEBOL CLUBE
    AGRUPAMENTO DE ESCUTEIROS
    CASA DO POVO
      GRUPO FOLCLÓRICO
      FUTEBOL FEMININO
      LUTAS AMADORAS
 
 
 
 
 
 
 
  LAZER 2017.08.17
 
Martinenses juntaram-se mais uma vez para o grande dia...
 
  Notícia Dia de Martim 2017 - Diário e Correio do Minho
 
  Os martinenses voltaram ontem a mostrar o seu bairrismo e o seu amor à terra ao comparecerem, em força, ao Dia de Martim, que a Junta de Freguesia local iniciou há 16 anos. O presidente da Junta de Freguesia, Manuel Silva, reconhece que o Dia de Martim “é uma grande obra” do movimento independente que lidera os destinos da freguesia, mas o mérito de continuar a ser um grande evento é dos martinenses. “São eles que trazem quase tudo” e, acima de tudo, a alegria e o convívio realça Manuel Silva, que afirma que a Junta de Freguesia apenas oferece as sardinhas, o caldo verde e a broa e monta o cenário com as atividades e a animação. Foram 32 canastras de sardinhas e muitos litros de caldo verde confecionado por um restaurante da zona, mas a animação foi dos martinenses, das inúmeras famílias que se juntam no Dia de Martim. O presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, também fez questão de se associar à iniciativa. “É sempre um convite especial” assume o edil barcelense que foi ao palco entregar os prémios das provas desportivas, dos jogos tradicionais e do ‘peddy-paper’. Miguel Costa Gomes assume que “é um dia difícil em termos de agenda”, mas o Dia de Martim “ultrapassa a relação institucional” e o presidente da Câmara enaltece a “causa da cidadania” protagonizada pelo movimento ‘Martim Activo’. Mais que o dia da freguesia, que começa a ser uma referência em vários pontos do concelho, embora o Dia de Martim seja o mais antigo, o presidente da Câmara realça o juntar as pessoas. “É o espaço onde as pessoas se reencontram, um momento de convívio e de lazer que também faz parte da política” aponta. São muitas as famílias que participam no Dia de Martim desde a primeira edição. É o caso da família Sabino que junta entre duas a três dezenas de convivas à mesa. Desde a missa das 07 horas até ao fogo-de-artifício, a família Sabino não arreda pé. “É dançar até cair” relata Lúcia Sabino que destaca o convívio. “Há pessoas que só aqui é que se encontram”, ano após ano, refere esta martinense. Mariana e Maria Sabino já participam no Dia de Martim desde pequenas e agora já integram a organização. Joana Sabino tinha apenas um mês quando se realizou o primeiro Dia de Martim e nunca deixou de marcar presença, confirma. Na mesa da família Sabino, a ementa do almoço foi arroz pica no chão confecionado no local. Além das conversas em família e da animação no local, os puzzles e jogos ajudam a passar o dia. Para a organização, “é uma felicidade” proporcionar este convívio reforça o presidente da Junta que estima que serão cerca de dois mil os participantes.
 
 
 
 
 
     
  Copyright 2007 Junta de Martim. Todos os direitos reservados. handmade by "Brainhouse e Tripledesign"